Dados do curso

Duração ideal: 8 semestres

Coordenador: Ferdinando Crepalde Martins

Criada em 2011, a Licenciatura em Educomunicação busca formar um profissional capaz de atuar como gestor de processos comunicacionais no espaço educativo, por meio de um aprofundamento teórico e prático nas áreas de Educação e Comunicação Social.

Num contexto em que a presença e a importância do digital na sociedade tornam-se cada vez maiores, é importante que o indivíduo não só aprenda a fazer uma leitura crítica da mídia, mas que também seja capaz de se expressar e se posicionar por meio dessas ferramentas. O educomunicador surge, neste cenário, como um professor de comunicações, apto a encontrar soluções criativas que melhorem os processos educativos, sejam eles formais (escolas), não formais (desenvolvidos por organizações sociais) ou informais (implementados pelos meios de comunicação voltados para educação e cultura). Nesse sentido, seu papel é justamente encurtar essas distâncias, ampliando o acesso, o entendimento e a participação social de grupos muitas vezes marginalizados por meio da integração entre educação e comunicação.

A formação em Educomunicação oferece ao aluno amplo conhecimento tanto de teorias e práticas educacionais, quanto de modelos e procedimentos que envolvem a produção midiática e o uso de tecnologias, de modo a torná-lo capaz de exercer atividades de caráter transdisciplinar na docência ou na coordenação de trabalhos de campo.

Quer saber mais?

Acesse o menu ao lado e conheça o curso de Educomunicação. Para mais informações, consulte a página do Departamento de Comunicações e Artes (CCA).

Ao longo dos oito semestres da graduação, oferecidos no período noturno, o aluno é apresentado a disciplinas tanto teóricas, que trabalham o campo da comunicação e as teorias da educação de forma interdisciplinar, quanto práticas, nas quais poderá ter contato com os processos comunicacionais e a produção das diferentes áreas midiáticas, em meios impressos, digitais ou audiovisuais. 

A formação é complementada com aulas na Faculdade de Educação, onde o aluno estuda disciplinas como Educação Especial, Educação de Surdos, Língua Brasileira de Sinais e Didática

Além disso, é oferecida aos alunos a oportunidade de cursar matérias optativas e eletivas em qualquer uma das unidades de ensino da USP (até mesmo em outros campi, como a USP Leste e o Quadrilátero Saúde-Direito), aprofundando-se em conhecimentos que sejam de seu interesse nas áreas de Humanas, Exatas e Biológicas.
O curso ainda traz oportunidades de intercâmbio com universidades de países como Portugal, Espanha e Itália, além de grande interação com outras universidades brasileiras que também oferecem o curso, como a Universidade Federal de Campina Grande. 

Clique aqui e consulte as disciplinas do curso de Licenciatura em Educomunicação.

Extracurricular activities

O aluno de Educomunicação pode se envolver com projetos de iniciação científica e núcleos de pesquisa vinculados à área de estudos, como, por exemplo, o Núcleo de Comunicação e Educação (NCE). O fato de se tratar de um campo em crescente desenvolvimento faz com que seja grande o interesse por pesquisas. 

Além disso, o aluno pode fazer estágios em escolas ou organizações do terceiro setor parceiras da Universidade, como o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC), ou ainda, participar de grupos de viés educativo como o Grupo Viração, que produz uma revista de mesmo nome e tem como base os princípios da educomunicação. 

O aluno tem, ainda, a oportunidade de participar de uma grande diversidade de exposições, festivais, seminários, congressos e cursos extracurriculares dentro e fora da ECA.  

Practice areas and labor market

O profissional de educomunicação pode atuar como professor, consultor ou pesquisador nas áreas relacionadas à interface comunicação/educação. 

Como professor, o educomunicador poderá atuar na educação básica, especialmente no ensino médio, em condições de lecionar conteúdos previstos nos parâmetros do Ensino Médio para a área curricular das linguagens e suas tecnologias. Ainda como docente, será habilitado para fazer a gestão de programas que aproximem as tecnologias de informação e a comunicação ao cotidiano escolar.

Como consultor, poderá atuar na função de analista e assessor de veículos de comunicação, empresas, estabelecimentos de ensino, órgãos públicos ou organizações do terceiro setor no planejamento e implementação de projetos na interface comunicação/educação, como, por exemplo, dar apoio à instituições de ensino no desenvolvimento de projetos de educação à distância mediados pelas tecnologias de informação. 

Na área de pesquisa, poderá atuar tanto no espaço acadêmico quanto em organizações que investigam a qualidade educativa na produção midiática e a relação entre os sistemas de comunicação e os públicos consumidores, atividades que refletem no próprio aperfeiçoamento do trabalho exercido por profissionais de educomunicação. 

O ambiente ecano, dentro e fora da sala de aula, mostra-se bastante aberto à diversidade e à expressão. Há grande quantidade de debates e reflexões acerca da temática das aulas e da profissão em si, formando alunos críticos, analíticos e conscientes do papel social da atividade que desempenham. 

A abordagem inter e transdisciplinar da temática e o currículo interunidade da Licenciatura dá aos alunos ampla formação no campo da educomunicação, colocando-os, ainda, em contato com muitas atividades práticas que estimulam a produção e a compreensão das ferramentas midiáticas. Além disso, há diversos projetos pedagógicos realizados pelos próprios graduandos, como campanhas, sites, programas de rádio, dentre outros, que estimulam um olhar social e focado no aprendizado que se pode promover a partir do uso crítico das tecnologias. 

Àqueles que pretendem seguir carreira acadêmica, ainda, a graduação oferece não só a bagagem teórica, mas oportunidades concretas (como projetos de iniciação científica, produção de artigos como trabalhos para as disciplinas e o próprio trabalho de conclusão de curso) para que o aluno se desenvolva melhor na área, já preparado para mestrados, doutorados e outras formas de especialização no campo de pesquisa acadêmica.