Dados do curso

Duração ideal: 8 semestres (matutino) / 10 semestres (noturno)

Coordenadora: Cibele Araújo Camargo Marques dos Santos

O curso de Biblioteconomia se propõe a formar profissionais para atuarem na produção, organização, recuperação e tratamento de informações em organizações públicas ou privadas, tais como bibliotecas, museus, centros culturais e arquivos, lidando com acervos em locais físicos ou virtuais. 

O fazer profissional do bibliotecário tem como base a conservação da memória, a disseminação da informação e a produção de novos conhecimentos, garantindo que essa informação chegue de forma efetiva a seus públicos-alvo. Desta forma, o curso busca, sobretudo, formar bibliotecários que atuem como mediadores entre as informações desses centros e seus públicos, acompanhando demandas socioculturais nesse mercado que vive em constante transformação. 

Um dos pilares da graduação é sua busca pela atualização constante, com base no caráter cada vez mais tecnológico, virtual e interativo da sociedade contemporânea, que tem se apropriado dos meios de comunicação e deixado de ser apenas consumidora de informação para se tornar, também, sua produtora. 

Quer saber mais?

Acesse o menu ao lado e conheça o curso de Biblioteconomia. Para mais informações, consulte a página do Departamento de Informação e Cultura.

O curso está estruturado em duas grandes áreas: a primeira, única, reúne disciplinas de formação geral, enquanto a segunda se subdivide em quatro áreas, que compreendem disciplinas de caráter mais específico. Procura, assim, abranger as competências que o bibliotecário deverá ter para o seu exercício profissional, permitindo ao aluno, ainda, complementar sua formação com disciplinas optativas e eletivas, que podem ser cursadas em qualquer uma das unidades de ensino da USP (até mesmo em outros campi, como a USP Leste e o Quadrilátero Saúde-Direito).

A área geral, “Estudos da comunicação e da cultura”, traz disciplinas como História da Cultura e da Comunicação I, Linguagem Verbal nos Meios de Comunicação I e Realidade Socioeconômica e Política Brasileira, como parte da base mais generalista que o curso pretende oferecer. Já as áreas mais específicas se caracterizam como “Estudos da informação: biblioteconomia e documentação”, “Organização e representação da informação e do conhecimento”, “Administração e gestão da informação”, “Mediação Cultural” e “Mediação da informação em ambientes digitais”. Sobretudo a partir do segundo período, disciplinas de caráter geral e mais específico (das diferentes áreas) se mesclam ao longo dos semestres, de modo a oferecer uma formação ampla e completa no campo da Biblioteconomia. 

A partir do quinto semestre, o aluno tem a oportunidade de realizar estágio supervisionado, que contribui para a ligação entre a teoria das aulas e a prática profissional e prepara o aluno de forma mais completa para o mercado de trabalho. O estágio deve ser realizado em uma unidade de serviço de informação pública ou privada, em que os estudantes desenvolvam atividades relacionadas à sua formação em locais como bibliotecas públicas, escolares, universitárias ou especializadas, além de centros de documentação. 

O aluno pode, ainda, participar de atividades de iniciação científica, grupos de pesquisa e/ou projetos de docentes vinculados ao Departamento de Informação e Cultura (CBD), com a possibilidade de agregar o tempo de realização dessa atividade à carga horária do estágio até o total de 40%. Deste modo, pode obter uma experiência mais ampla também na área acadêmica, sem que isso exclua sua experiência profissional em unidades de serviço de informação. 
A internacionalização do curso oferece ao aluno grandes oportunidades de intercâmbio, por meio de convênios entre a USP e Universidades como a Universidade do Porto e a de Coimbra, em Portugal.

Extracurricular activities

Os alunos podem participar de projetos remunerados e não-remunerados de iniciação científica (trabalhando com professores em suas linhas de pesquisa), cultura e extensão (que podem ser realizados por toda a USP e adquirem um teor mais prático) e estágios ligados à administração ou às unidades de ensino da Universidade. Essas atividades surgem como uma oportunidade de adquirir experiência na própria universidade, recomendadas nos primeiros períodos da graduação, antes que o estudante passe a buscar estágios e outras atividades fora. A quem se interessar pela carreira acadêmica, oportunidades como iniciações científicas são fundamentais para que o aluno já se envolva com grupos de pesquisa, projetos de docentes e diferentes metodologias de estudos. 

O estudante tem, ainda, a oportunidade de participar de uma grande diversidade de exposições, festivais, seminários, congressos e cursos extracurriculares dentro e fora da ECA.  

Practice areas and labor market

O bacharel em Biblioteconomia pode realizar atividades como organização, tratamento, recuperação e disseminação de informações registradas em meios físicos ou digitais nos mais diversos suportes (como livros, revistas, manuscritos, fotografias, filmes, gravações sonoras, dentre outros). Pode, também, trabalhar elaborando, implementando e gerenciando instrumentos para representação e recuperação de informações, além de avaliar a usabilidade de sistemas desse tipo, por meio de auditorias. Pode, ainda, assessorar a implementação e o gerenciamento de sites e portais na web, de modo a garantir o acesso e a apropriação da informação pelo público alvo do sistema. 

A carreira acadêmica é uma das possibilidades: o bacharel está apto a ministrar conteúdos teóricos e práticos relacionados à Biblioteconomia, além de ter uma base que lhe possibilite seguir na área de pesquisa, complementando sua formação com pós-graduação e outros tipos de cursos. 

O ambiente ecano, dentro e fora da sala de aula, mostra-se bastante aberto à expressão. São frequentes os debates e reflexões acerca da temática das aulas e da profissão em si, formando alunos críticos, analíticos e questionadores de toda informação que recebem. Além de toda a abordagem técnica, essa base humanística é considerada fundamental na formação de bons bacharéis, conscientes de seu papel como mediadores entre centros de informação e públicos das mais diversas situações socieconômicas e socioculturais. 

Àqueles que pretendem seguir carreira acadêmica, a graduação oferece não só a bagagem teórica, mas também oportunidades práticas (como projetos de iniciação científica, produção de artigos para as disciplinas e o próprio trabalho de conclusão de curso) para que o aluno possa, no futuro, desenvolver projetos de pesquisa em programas de pós-graduação em ciências da informação e outros campos do conhecimento.