Graduação Relações Públicas

Dados do curso

Duração ideal: 8 semestres

Coordenadora: Valéria de Siqueira Castro Lopes

O curso de Relações Públicas, do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP), se propõe a formar profissionais que atuem como gestores da comunicação organizacional, em instituições com ou sem fins lucrativos. Entende-se que toda organização, seja de grande ou pequeno porte, precisa se comunicar com seus públicos de relacionamento (tanto funcionários quanto clientes, fornecedores e consumidores), e a atuação do profissional de relações públicas se dá justamente na mediação dessas relações, na tentativa de conciliar interesses muitas vezes divergentes. 

A formação se dá em três principais eixos: humanístico, comunicacional e técnico-profissional. Assim, inicialmente o aluno terá um grande aprofundamento nas áreas de Ciências Humanas e Comunicação Social, para, gradualmente, se envolver com disciplinas e projetos cada vez mais práticos e voltados para as atividades profissionais de relações públicas. 

 
Quer saber mais?

Acesse o menu ao lado e conheça o curso de Relações Públicas. Para mais informações, consulte a página do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo.

 A graduação de Relações Públicas visa formar gestores das comunicações capazes não só da reflexão sobre suas atividades no contexto de uma organização, mas também da realização destas de forma estratégica, a partir de uma profunda compreensão do fenômeno comunicacional. 

É oferecida uma ampla formação na área de Relações Públicas, que prepara o aluno para a inserção nos diversos campos de atuação profissional ou acadêmica, deixando-o livre para escolher em que área deseja se especializar. Essa especialização pode incluir pós-graduação, mestrado, doutorado e até mesmo intercâmbios: a USP mantém convênios com universidades do exterior, o que permite ao aluno complementar sua formação em instituições de ensino de países como Espanha, França e Portugal, aprofundando-se em temas do campo da comunicação social. 

O aluno também pode complementar sua formação com matérias optativas e eletivas, que pode cursar em qualquer uma das unidades de ensino da USP (até mesmo em outros campi, como a USP Leste e o Quadrilátero Saúde-Direito), aprofundando-se em conhecimentos que sejam de seu interesse nas áreas de Humanas, Exatas e Biológicas. 

Ao final da graduação, a disciplina de Projeto Experimental de Relações Públicas transforma a sala de aula em uma agência de comunicações e coloca os alunos em contato com clientes reais. A turma é dividida em grupos e cada um deles é responsável por um “departamento” da agência, atuando no atendimento das demandas de organizações em áreas como pesquisa de público, análise estratégica de informações, planejamento e implementação de ações relacionadas à comunicação. 

A partir de 2018, os ingressantes do curso terão uma grade curricular diferente da que vinha sendo aplicada nos anos anteriores, adequada às novas diretrizes nacionais do MEC. As alterações incluem a criação de novas disciplinas, como Gestão de Projetos Culturais, e modificações na carga horária relativa ao Projeto Experimental, de modo a dinamizar a disciplina e aumentar o número de atividades práticas. Haverá também maior integração entre disciplinas de um mesmo semestre, em função do desenvolvimento de produtos e projetos pelos próprios alunos. 

Além disso, Relações Públicas deixa de ser uma habilitação do bacharelado em Comunicação Social: os alunos que ingressarem no curso a partir de 2018 se graduarão como bacharéis em Relações Públicas. “Com essas mudanças, as atividades da área passarão a ser vistas de forma mais individualizada. Isso possibilita aos alunos encontrarem vagas melhor direcionadas,” afirma Valéria Lopes, coordenadora do curso de Relações Públicas.
 

Atividades extracurriculares na USP

Os alunos de Relações Públicas mantêm, junto aos alunos de Publicidade e Propaganda e Turismo, a Agência de Comunicações ECA Jr. Além de organizar grandes eventos anuais para ecanos e não ecanos (como feiras de comunicações e recrutamento), a agência presta serviços de comunicação para clientes externos, contribuindo para a formação profissional dos jovens ao permitir que eles coloquem na prática aquilo que aprendem em sala de aula.  

A agência conta com uma estrutura horizontal, composta pelo Presidente, o Vice-Presidente e as diretorias de Comunicação, Financeiro, Marketing, Recursos Humanos, Turismo, Criação e Produção, Planejamento e Mídia e Relações Públicas, cargos ocupados pelos alunos durante um ano, ao fim do qual é realizado um processo seletivo para que a gestão anterior escolha a seguinte. Aos alunos que não fazem parte da gestão, há a oportunidade de participar como colaboradores em projetos específicos, perpassando diversas funções de sua concepção. O aluno de Relações Públicas, nesse contexto, pode atuar realizando atendimentos a clientes, planejando todos os aspectos de um evento, captando recursos e patrocínios, administrando recursos financeiros, prestando serviços de assessoria de imprensa, dentre diversas outras atividades.

Além disso, os alunos podem participar de projetos remunerados e não-remunerados de iniciação científica (trabalhando com professores em suas linhas de pesquisa), cultura e extensão (que podem ser realizados por toda a USP e adquirem um teor mais prático) e estágios ligados à administração da Universidade ou às unidades de ensino. 

O aluno tem, ainda, a oportunidade de participar de uma grande diversidade de exposições, festivais, concursos de criação, seminários, congressos e cursos extracurriculares dentro e fora da ECA.  

Áreas de atuação e mercado de trabalho

Um profissional de Relações Públicas pode atuar nas mais diversas funções relacionadas à comunicação organizacional de empresas de pequeno ou grande porte, agências, organizações não-governamentais ou órgãos públicos. É comum, ainda, o desenvolvimento de organizações próprias por parte de alunos de perfil empreendedor.

O campo de atuação inclui assessoria de imprensa, promoção de vendas, organização de eventos, comunicação interna, gestão de crise, responsabilidade social, comunicação e posicionamento institucional, pesquisas de opinião, gestão de projetos culturais, relacionamento com a mídia, com a comunidade e com os consumidores. Além de bastante diversificado, o mercado de trabalho de Relações Públicas é muito dinâmico, mantendo-se em constante crescimento e oferecendo inúmeras possibilidades de interação com áreas como Publicidade e Propaganda, marketing e outras do campo da comunicação. 

É recomendado ao aluno que participe de atividades extracurriculares e projetos de iniciação científica e cultura e extensão no início da graduação, e busque sua inserção de forma mais direta no mercado de trabalho nos últimos anos, quando a formação assume um viés mais prático direcionado para a atuação profissional de relações públicas. 

O ambiente ecano, dentro e fora da sala de aula, mostra-se bastante aberto à diversidade e à expressão. Há grande quantidade de debates e reflexões acerca da temática das aulas e da profissão em si, formando alunos críticos, analíticos e questionadores de toda informação que recebem. 

O enfoque inicial ao estudo humanístico, que gradualmente assume um caráter mais técnico-profissional, possibilita ao aluno compreender o processo comunicacional em suas variadas dimensões de forma mais ampla e profunda, desenvolvendo um olhar mais crítico e estratégico de sua atividade como comunicador. 

Àqueles que pretendem seguir carreira acadêmica, ainda, a graduação oferece não só a bagagem teórica, mas as oportunidades práticas (como projetos de iniciação científica, produção de artigos como trabalhos para as disciplinas e o próprio TCC) para que o aluno se desenvolva melhor na área, já preparado para mestrados, doutorados e outras formas de especialização no campo de pesquisa acadêmica.